Oferta!

Gérard Bertrand Côte des Roses Rosé 2019

Belo vinho, garrafa única.

Rosé claro e brilhante com matizes azuladas quando jovem que desenvolvem para nuances mais alaranjadas ao longo do tempo. O bouquet libera aromas de frutas de verão, cassis e groselha. Notas florais de rosa junto com notas de toranja completam o quadro. Na boca, o final é fresco, oferecendo notas doces. Na boca a impressão é fresca e cheia, com persistência aromática e equilíbrio.

Ideal a 10° C como aperitivo ou com marisco e pratos sutilmente condimentados.

Fora de estoque

Características

TIPO DE VINHO
ROSÉ
REGIÃO & PAÍS
LANGUEDOC-ROUSSILLION FRANÇA
UVA
BLEND
SAFRA
2019

Sobre o produto

Cote des Roses celebra o estilo de vida mediterrâneo. A denominação Languedoc se estende ao longo da costa do Mediterrâneo. Os solos são muito variados, principalmente com calcário duro e xisto, mas também seixos transportados pelos rios da região do Languedoc. A garrafa é original com a sua base em forma de rosa, criada por um jovem designer da École Boulle.

Os vinhos Gérard Bertrand são, acima de tudo, um assunto de família. São três gerações de viticultores, de Paule a Georges, depois Gérard Bertrand.

Em 1920, Paule Bertrand plantou as primeiras vinhas da família em Corbières. Em 1975, Georges Bertrand apresentou a seu filho Gérard, então com dez anos, a colheita da uva no Château de Villemajou em Corbières. Mais tarde Georges Bertrand desempenhou um papel precursor na revelação dos terroirs do Languedoc, ele abriu o caminho para o reconhecimento do Boutenac Cru.

Foi em 1975, nas vinhas do Château de Villemajouat, coração do Corbière, que Gérard Bertrand colhe as suas primeiras uvas e descobre a sua paixão pelo vinho. Ele aperfeiçoou seu aprendizado durante doze anos ao lado de seu pai Georges Bertrand.

Muito apegado aos valores de performance e excelência aprendidos nos campos de rúgbi, Gérard Bertrand continua sua busca: revelar os melhores terroirs de sua região e promovê-los em todo o mundo.

É com esse espírito que ele assumiu a tocha da família em Domaine de Villemajou após a morte acidental de seu pai em 1987. Cinco anos depois, ele criou a empresa de vinhos Gérard Bertrand para desenvolver uma gama de vinhos do sul da França. Nos anos seguintes, ele comprará de volta o Domaine de Cigalus e o Castelo Laville Bertrou.

A aquisição em 2002 do Château l'Hospitaletin o parque natural de La Clape. A localização entre Narbonne, a cidade romana de Narbonne, e o Mar Mediterrâneo deu a Gérard Bertrand uma nova dimensão. Desde então, a bela história continua e novas pepitas com os emblemáticos terroirs de Languedoc enriquecem a visão e a diversidade dos vinhos Gérard Bertrand: Domaine de l'Aigle, Château la Sauvageonne, Château la Soujeole, Clos d'Ora, Clos du Templo, Castelo de Karantes, Château Aigues-Vives, a vinícola Cap Insula, Château des 2 Rocs, Château de Tarailhan e Domaine de l'Estagnère.

A vontade de Gérard Bertrand e das suas equipas é festejar a Art De Vivre e fazer a ligação entre os grandes vinhos das quintas, a gastronomia, a arte e os amantes dos belos encontros. O Château l'Hospitalet é um hotel localizado no coração do maciço protegido de la Clape e reflete perfeitamente a Art de Vivre mediterrânea. Por ser uma vinícola biodinâmica, o Château l'Hospitalet é também uma meca para o enoturismo no sul da França.

Gérard Bertrand e sua equipe estão convencidos de que a viticultura em harmonia com a natureza é a melhor maneira de levar os vinhos terroir ao mais alto nível de excelência. A conversão das fazendas para a agricultura biodinâmica foi iniciada em 2002 no Domaine de Cigalus. Hoje, todos os vinhedos são cultivados em agricultura biodinâmica seguindo as rígidas regras do rótulo DEMETER. Até 2023, todas as suas vinhas terão concluído a conversão para a certificação, em benefício da natureza, das equipas vitivinícolas e dos consumidores de vinho. Este método de cultivo nos permite produzir vinhos representativos de todas as nuances dos terroirs do sul da França. A Biodinâmica leva em consideração todos os elementos naturais que circundam a videira e se baseia em ritmos cósmicos.

Occitânia é o maior vinhedo orgânico da França, representando sozinho 36% do vinhedo orgânico francês e 7% do vinhedo orgânico mundial. Reúne todos os ativos favoráveis ​​à viticultura orgânica. A exposição geográfica, o clima mediterrâneo (quente e com ventos frequentes) e a grande variedade de castas resistentes facilitam o combate à presença de parasitas nas vinhas. Como um pioneiro da biodinâmica em seus vinhedos, Gérard Bertrand deseja apoiar os viticultores que estão comprometidos com a preservação do meio ambiente e inspirar a busca pela agricultura orgânica.

As variedades de uvas que compõem o blend são colhidas separadamente quando cada uma delas está no nível de maturação correto. Grenache, Syrah, Cinsault fermentam separadamente em inox e após uma ligeira colagem, o vinho é engarrafado para preservar o carácter fresco e frutado dos vinhos. Apenas o mosto de primeira prensa é utilizado.