Oferta!

Don Guerino El Gaucho Tannat 2018

Intervenção mínima, sabor do local.

Coloração vermelha grená intensa. Aromas de frutas negras, amoras, cerejas, figos, canela, especiarias, baunilha e leve tostado. Na boca tem intensidade tânica equilibrada. Persistência, estrutura e corpo em perfeita harmonia.

Editor Onivino

Fora de estoque

Características

REGIÃO & PAÍS
SERRA GAÚCHA BRASIL
PRODUTOR
DON GUERINO
UVA
TANNAT
SAFRA
2018

Sobre o produto

O Don Guerino El Gaucho Tannat é um vinho cheio de simbolismos. Foi conceitualmente desenvolvido para harmonizar com churrasco, e daí advêm seu nome, uma homenagem a cultura gaúcha intrinsicamente associada aos pampas latino-americanos.

Foi elaborado a partir de uma seleção de parcela do primeiro (e mais antigo) vinhedo plantado no ano 2001 em solo argiloso e profundo pela Don Guerino, em Alto Feliz/RS. Sua vinificação foi realizada com leveduras indígenas e contemplou uma maceração pós-fermentativa, seguida por uma maturação em carvalho francês e americano durante 9 meses. O resultado desse trabalho já rendeu frutos: foi o vinho tinto mais pontuado na Avaliação Nacional de Vinhos 2017.

Seleção Manual dos cachos. Desengace dos cachos seguido de uma leve ruptura. Fermentação Alcoólica com leveduras indígenas à temperatura controlada com remontagens diárias. Maceração pós-fermentativa. Descube por gravidade. Fermentação malolática espontânea. Passagem por 9 meses em barricas de carvalho francês e americano. Engarrafado sem filtrar.

Localizada em Alto Feliz, na Serra Gáucha, a Don Guerino é uma vinícola familiar moderna, com umenvolvimento com a vitivinicultura vem atravessando gerações na família desde 1880, quando vieram os primeiros imigrantes, do Trento, norte da Itália, para o sul Brasil.

No ano 2000, Osvaldo Motter, quarta geração, coloca em prática o sonho de elaborar vinhos finos Premium adquirindo uma nova propriedade de terras em Alto Feliz, RS, iniciando a implantação de castas nobres europeias já vislumbrando uma vinícola com arquitetura voltada ao enoturismo. O projeto foi finalizado em 2007, e homenageou o pai, Guerino Motter.

O filho de Osvaldo, Bruno Motter, que cursou enologia em Mendoza na Argentina, assina os rótulos da vinícola desde 2011.