Oferta!

Maria Maria Sous les Escaliers Espumante Nature

Medalha de Prata com 90 pontos no Decanter World Wine Awards 2019

“Um vinho fresco, alegre e fácil de beber, com notas de frutas amarelas no nariz, frutas brancas com pequenas borbulhas no paladar e um final longo e cremoso.”

 

Medalha Grande Ouro Wines of Brazil 2019

Decanter – World Wine Awards, Prata – 90pts

Medalha de Ouro XI Concurso do Espumante Brasileiro

 

Fora de estoque

Características

TIPO DE VINHO
ESPUMANTE
REGIÃO & PAÍS
MINAS GERAIS BRASIL
PRODUTOR
MARIA MARIA
UVA
CHARDONNAY
SAFRA
2018

Sobre o produto

Espumante Nature de Chardonnay fermentado em tanques de inox sem fermentação malolática e consequentemente engarrafado para passar pela segunda fermentação sob o método Champenoise. O número de garrafas foi de 6.739.

O Projeto foi concebido em 2006 quando Eduardo Junqueira Nogueira Junior, quinta geração de uma família de cafeicultores do Sul de Minas Gerais, sofreu um ataque cardíaco e precisou repensar seus hábitos alimentares. A sugestão de médico de consumir uma taça de vinho por dia, fomentou a ideia de produzir, ele mesmo, o seu próprio vinho. O projeto ganharia viabilidade em função dos conselhos de Murillo Albuquerque Regina, pioneiro vitivinícola na região, sobre as técnicas de dupla poda ou poda invertida.

Syrah, Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc foram plantadas no final de 2009 na Fazenda Capetinga. As plantas se desenvolveram bem, mas o destaque ficou para a Syrah. Mas o escopo da ideia era maior, não queriam apenas produzir vinhos tintos, mas também brancos, rosês e espumantes. E em 2011 foram plantadas as de chardonnay, para a produção de espumantes.

Como um bom mineiro, a vida fica mais rica quando se tem bons contos. A ideia do nome Maria Maria veio da reflexão de Milton Nascimento, amigo de longa data de Eduardo. Seu conterrâneo, em umas de suas frequentes visitas à Fazenda Capetinga brincou: “Eduardinho do céu, você é doido. Nunca ouvi falar em plantar uvas aqui no Sul de Minas”. Desde aquele momento, o nome do projeto foi decidido.

Outro ponto curioso em relação aos vinhos, é que cada vinho leva o nome de uma mulher ligadas à família. Na primeira safra, os vinhos se chamaram Agda (syrah 2013), bisavó de Eduardo, Ada (branco 2013), tia avó de Eduardo e Anne (rosê 2013), sua cunhada.