Oferta!

Thera Rosé 2021

Thera foi mencionado pela revista Britânia, Decanter do mês de outubro de 2020 como referencia da nova fase do vinho brasileiro.

Wines of Brazil Awards Grand Gold – 91 Pontos

Delicada coloração salmão. No nariz afloram notas de pequenos frutos vermelhos, como a pitanga, com um delicado fundo floral. A sensação em boca remete a uma acidez bem equilibrada, típica dos vinhos da região serrana de Santa Catarina, proporcionando uma incrível aptidão gastronômica.

Harmoniza com frutos do mar, peixes, saladas, culinária asiática, feijoada, aves.

Fora de estoque

Características

TIPO DE VINHO
ROSÉ
REGIÃO & PAÍS
SERRA CATARINENSE BRASIL
PRODUTOR
THERA
UVA
CABERNET FRANC, MERLOT, SYRAH
SAFRA
2021
TEOR ALCÓOLICO
12,5%
VOLUME
750ML
MATURAÇÃO
6 MESES EM CONTATO COM AS BORRAS

HARMONIZAÇÃO
ASIATICO, AVES, FRUTOS DO MAR, PEIXES, SALADA

Sobre o produto

A filosofia da Vinicola é focada no respeito às características únicas da terra e do clima das altas encostas da Serra Catarinense. O nome da vinícola é uma homenagem à Therezinha Borges de Freitas, carinhosamente chamada de THERA pelo marido Manoel Dilor de Freitas (in memorian), o visionário empreendedor, pioneiro dos vinhos de altitude de Santa Catarina, e por seus quatro filhos, entre os quais João Paulo, o idealizador da Vinícola Thera.

O vinhedo em Bom Retiro, na Serra Catarinense, foi plantado com mudas certificadas e originárias da França e da Itália a uma altitude de 900m em solo franco argiloso. As variedades são cultivadas pelo sistema de espaldeiras (fileiras verticais), o que permite maior captação de sol e baixa produção por parreira, visando assegurar mais qualidade ao vinho. Predominantemente, os vinhedos estão voltados para variedades destinadas à elaboração de vinhos brancos e espumantes, tais como Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir, e inclui também Merlot, Cabernet Franc, Syrah, Malbec, Sangiovese, Montepulciano, entre outras cepas.

A elaboração da Merlot, Cabernet Franc, Syrah inicia com uma suave prensagem direta, visando pouca extração de cor e taninos. Logo a fermentação é conduzida com uso de levedura. O vinho permaneceu seis meses em contato com as lias, para conquistar maior equilíbrio e volume de boca, buscando preservar as características mais delicadas da expressão da fruta. Este rosé não teve passagem por barricas de carvalho e não sofre fermentação malolática